Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mãe-Galinha

A minha filha Inês, ou, a minha variável dependente

06.06.11

- O que é que deste em matemática, Maria?

- As equações.

- E que tal?

- Maravilha.

- Ai que bom! O meu sonho sempre foi ter uma filha que gostasse mesmo de matemática!!!! E percebeste o que é uma equação?

- Claro! É uma igualdade entre duas expressões literais.

- :)))))

Do outro lado, uma voz indignada, do alto dum metro e meio mal medido, a mão na anca e os olhos muito abertos:

- Eu também sei muito bem o que é uma equação.... É uma igualdade entre duas expressões liberais!!!

Um mail que é um post, uma critica e um desabafo

14.01.11

 

"Custa-me muito escrever isto, mas não vou inscrever a Inês no concurso (este)

Se, por uma lado e até aqui, tenho feito todos os esforços pessoais para que a ela tenha acesso a actividades que a estimulem enquanto aluna de flauta, por outro, sinto que o Conservatório, enquanto escola, pouco tem feito para a ajudar/estimular.

Quero que entenda que isto nada tem a ver consigo ou com o seu trabalho - tenho a certeza que é a melhor professora/amiga da Inês, admiro a sua persistência para as “falhas” dela (nomeadamente no que diz respeito aos períodos de desmotivação); sei que ela não podia estar em melhores mãos.

 No entanto, quando um aluno tem algum potencial, se é estimulado a participar em actividades exteriores, se é indicado para concursos, penso que a Escola devia, de alguma maneira, apoiá-lo.

 Na semana passada enviei um e-mail à Direcção, acerca da presença dos acompanhadores e do pagamento das taxas de inscrição e de outras despesas inerentes à participação dos alunos em concursos (e de que lhe dei conhecimento). Até hoje (data limite da inscrição no concurso), não obtive qualquer resposta. Ora isto, para mim, demonstra alguma falta de consideração pelos esforços dos alunos e das famílias. Ter-me-ia bastado uma resposta tão simples como “A escola não dispõe de verba mas vamos tentar organizar os alunos de forma a minimizar os custos”. Trinta euros de inscrição, deslocações, refeições, etc, são despesas que não me posso dar ao luxo de fazer sem reflectir bem.

Sei que esta minha decisão, e este e-mail, não vão afectar o seu empenho enquanto professora e o esforço da Inês enquanto aluna.

Se não se importa, envio cópia desta mensagem à Direcção do conservatório e para a própria Inês.

Um beijinho, Rita"

11 a 22

23.12.10

Está a dormir na minha cama, como há 11 anos a esta hora. Vou passar a noite a olhar por ela (como há 11 anos) e a imaginar futuros risonhos e coloridos (como sempre).

A febrícula do meio do dia transformou-se em febrão à noite e a festa do pijama ficou a meio. As amigas foram para casa, tudo sem dramas, sem uma lágrima dela, não sei se por cansaço se por determinação e sensatez.

A mim custou-me tanto, que tive que me esconder (para chorar).

O que é que se oferece a uma miúda que dá tudo? 

Só se for o mundo bom, numa bandeja.

O maior dos inventores, o acaso (Mark Twain)

10.12.10

Um dia, por acaso, descobriu-se que tinha um defeito de fabrico numa vértebra (espinha bífida oculta), que até podia ter justificado os muitos e muitos xixis na cama. Por acaso é uma coisa que não é grave, mas chateia, está ali, às vezes dá em moinha.

Por acaso tem asma, não é muito grave, está controlada, mas chateia, cansa, faz ser picada muitas vezes.

Agora, por acaso (vá lá, por teimosia boa duma médica), descobriu-se que tem os calcanhares feitos num oito. Não é por acaso, é porque dança e corre e toca horas de flauta, em pé.

 

Agora não me apetece pensar a mais nada a não ser no bom que foi o ter-me aparecido um dia na barriga, por acaso :)

Não vão as mais velhas sentir-se rejeitadas (e achar que o mundo está contra elas porque a mãe já não escreve posts com as gracinhas das meninas - Ó ADOLESCÊNCIA....)

11.08.10

Eram umas Marias tão fartas, mas tão fartas de férias que foram à escola perguntar se por acaso as aulas não começariam mais cedo.

Agora que penso - sou uma mãe tão farta, mas tão farta das férias delas que amanhã vou à escola perguntar se por acaso não ponderam essa hipótese.

Já que acabam com os chumbos, também podiam acabar com as férias intermináveis, não?

Hoje aprendi o que é bluetooth

26.06.10

Vou-me sentar a tricotar uma bolsa azul para o telefone novo da Inês.

Não perdeu o dela, nem lho roubaram, nem nada, Está ali, desligado e sem o cartão, ao lado do carregador.

A verdade é que mereceu este e eu não sou (nem quero ser), pessoa de quebrar promessas.

Ná Páscoa teve boas notas mas quase todos os professores me disseram que, não fosse o mundo da lua, podia mostrar melhor o que sabe.

A custo, fi-la descer à terra. Perguntou-me se lhe dava um telefone com bluetooth se, no terceiro período, tivesse tudo cinco e só dois quatros. Sou absolutamente contra compras desnecessárias. Olhando as notas e conhecendo-lhe as marés, não tive dúvidas que não me sairia dinheiro do bolso: - Compro pois.

Fintou-me.

Só ralações, esta vida de mãe

11.03.10

Eu e as mais velhas

- Hi hi hi.... sabes... hi hi hi... isso nunca vai acontecer comigo!... hi hi hi

- Nem comigo!!! -  a mão na boca, muito corada, só vergonha

Eu nem respirava. Elas riam-se muito e eu continuava em silêncio à espera dum desfecho estranho, esquisito, irreal.

- Sabes o C e a R? Eles namoram e dão beijos NA BOCA.

 

Ah. Tá bem.

 

E por isso é que me espantei muito, corei, pus a mão na boca de vergonha, quando no histórico da meu browser apareceu uma coisa qualquer como hotadultgames.

Tinham passado o dia anterior em casa da minha mãe. Com o meu portátil. Mais ninguém mexe no meu portátil.

Entrei no site e, reacção imediata, apaguei o histórico. Achamos sempre que estas coisas só acontecem aos outros e porque é que eu havia de activar filtros de segurança no MEU computador?

Depois respirei, fumei e contei ao pai delas.

Explicamos-lhes - mais uma vez  - os perigos destes sites, que se querem saber alguma coisa que nos perguntem, que sempre falámos de todos os assuntos sem grandes tabus, e depois, já a perder a razão, que não jogam computador, e que deviam era estudar, e que são umas tontas e que  e que e que.

No fundo, não era nada que não estivéssemos à espera, passamos todos por esta fase de procurar o proibido. Mas aos onze anos?

Juro que prefiro amamentar compulsivamente de duas em duas horas durante um ano.

Shrove Tuesday

19.02.10

Imagem

 

Curto-lhes a independência e autonomia mas inscreverem-se numa corrida de panquecas que EU tenho que fritar?

Levaram em sacos as minhas melhores sertãs* e aposto que aparecem em casa  a precisar de joelheiras nas calças.

Do mal o menos - À meia noite e vinte a minha cozinha cheirava tão bem, mas tão bem, que não resisti, bati mais um ovo e fritei mais duas. Depois comi-as encharcadas em açucar e canela.

 

Shrove Tuesday - Do termo  to shrive (absolver), associado à confissão que antecede a quaresma. Dia tipicamente comemorado como "dia das panquecas" no Reino Unido, Canadá, Irlanda, Austrália, Nova Zelândia e partes dos EUA. Por ser o último dia antes do início do jejum, e dado que na quaresma eram inetrditos o açúcar, o leite, a farinha, a gordura e os ovos, estes ingredientes deram origem a panquecas e à celebração do dia.

 

Para 8 panquecas:

2 ovos

1 chávena de chá de leite

1 chávena de chá de farinha

1 pitada de sal

Bater bem e deixar descansar durante uns 15 mn

Fritar em sertã untada. Virar. Fritar. Polvilhar, barrar ou rechear. Comer.

 

* frigideira larga e de pouco fundo.

O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5