Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mãe-Galinha

Provecta provincia

26.01.07
Fora uma miúda como as outras e não a incomodaria o cheiro a fritos que fugia da casa da vizinha de baixo; tiraria a roupa do estendal, fecharia as janelas e acenderia um incenso que comesse os restos do cheiro.
Aquele incenso não prestava e o cheiro dos fritos da vizinha não a largou durante um par de anos. O cheiro do escape da garagem do lado entrava-lhe pelo nariz adentro e a bisbilhotice alheia tirava-lhe o sono. Até o cheiro da transpiração da cableireira da esquina lhe incomodava a folga em que aproveitava para pedir um corte na franja.

Quis fugir e manter-se quieta mas uma casa não é uma vida e a vida fugia-lhe pelas janelas abertas da casa. Nem o passado lhes escapava:

Um dia a filha mais nova chegou da escola e disse:
- Então mãe! A Dina disse que tu, quando eras pequena, tinhas medo de aspiradores! Grande maricas!!

Foi nesse dia que ela decidiu esconder-se.
O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5