Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mãe-Galinha

VALE SEMPRE A PENA

Rita, 15.10.04
Fim de tarde. Chego a casa a carregar a Carminho numa anca, com a mão cheia de sacos e casacos. Pela outra mão arrasto a Inês que não se cala - "Ó mãe, não quero que páres o carro aí!" (mas o que é que ela tem contra o sítio onde eu quero parar o carro?) "Ó mãe, quero ir ao parque!" (o parque está todo molhado...) "Ó mãe, tens que me comprar um bolicao, e já" (ai a minha vidinha....)

Chego a casa. Hoje o pai João chega mais tarde porque há reunião na escola primária. Preparo o jantar, já adiantado. Preparo banhos. A Maria chega com a tia G. Faz birra porque não quer fazer os TPC. Lá a convenço. Dou banhos. Começo a dar o jantar à Carminho. Come tudo com muito apetite. No fim, engasga-se não sei com quê e vomita - cozinha imunda, paredes imundas, cadeirinha imunda, Carminho imunda. Grito. Choro. Apetece-me desistir. Mudo-a. Limpo a cozinha. Não tenho forças para lhe arranjar outro jantar. Siga para Cérelac. As mais velhas estão com fome - é tarde, querem jantar. O pai chega e é apanhdo no meio da confusãop. Mal poisa as chaves e já lhe passei para as mãos a taça da papa. Eu passo pelos quartos e quase morro de susto - roupas espalhadas, brinquedos espalhados, a casa de banho semi-inundada. SOCORRO.

- Tudo para fora da cozinha. Ninguém mais janta enquanto eu não tiver 3 minutos para fumar um cigarro.

Respiro. E fumo. O pai deita a bébé. Mais tarde do que o normal, jantamos. Olho para o relógio. São 20h50. Às 21h30 tenho que estar na escola para uma reunião da associação de pais. Tento dar uma arrumadela às roupas; o pai João depois trata da cozinha e deita as miúdas. Regresso já depois da meia-noite. Até o pai já está a dormir. Eu, zonza de cansaço, espreito as crianças e dou por mim a velar-lhes o sono e a pensar - mais um dia que valeu a pena!
O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5