Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mãe-Galinha

2 de Setembro

Rita, 05.09.06
Aposto que se conhecessem a minha filha mais nova, os meteorologistas já teriam dado o nome Carmo a um furacão. A miúda é um furacão de tudo: de risos, de lágrimas, de mimos, de dentadas, de teimosia, de doçura.
Não quer ter três anos.
- Não! Três anos não! Faço quatro ou cinco ou vinte e dois, mas três não quero!
E nós, fazemos o quê com esta teimosia?

Ela diz que não quer o babete porque já é crescida mas à noite chora muito porque lhe nego o biberão de leite, que já não há cá biberãos em casa, levou-os a tia para a Nônô. Minto descaradamente e corta-me o coração o deslize dela para a pequenez:
- Mas eu afinal quero ser bebé e quero bibôn...

Deixo-lhe as quatro chuchas, algumas já tão mal cheirosas que até a proprietária assume o desconforto:
- Blharc! Esta não ponho na boca nem no nariz que cheira a balão...

Um dia, sem pressa nenhuma, hão-de ir-se perdendo. Quero lá saber da boca arqueada ou da baba ou do cheiro a balão. Nem sei como resito a ir ao armário buscar o biberão.

Três anos e a melhor ideia da minha vida - festa na praia.

O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5

17 comentários

Comentar post

Pág. 1/2