Sexta-feira, 18 de Outubro de 2013
Eu vou-me a eles*

A minha filha Maria reuniu as condições para receber uma bolsa de mérito.(Aluna com direito a ação social escolar e com média de 9º ano igual ou superior a 4).

Independentemente de eu concordar ou não que este tipo de bolsas se designem por bolsas de mérito, ela teve direito a ela (nem me apetece que este texto sirva para discutir essa questão em específico).

 

O Regulamento destas bolsas prevê que o pagamento da 1ª tranche ocorra NO INÍCIO DO 1º PERÍODO.

Mal saíram as notas em pauta, em JULHO, comecei a contactar a secretaria da escola para desencadear este processo. Em Julho e Agosto fui lá quatro vezes e abordei esta questão.

Que tivesse calma, que se tratava de tudo em Setembro.

Chegou Setembro.

Começou o primeiro período.

Todas as semanas a perguntar.

Até que um destes dias me informam que a lista de nomes só será enviada para a DGEstE Centro no final de Outubro.

Pergunto porquê.
Volto a perguntar e respondem-me com uma circular da então DGEstE, de 2001(!), que refere um despacho já revogado e onde, PARA AQUELE ANO, se pede que a lista seja enviada até ao final de Outubro.
Explico isso à escola. Em vão. Que em Coimbra é assim que querem.
(É muito difícil explicar coisas a pessoas)
Ligo para Coimbra. Relembro a data prevista no Regulamento. Respondem que é assim e blá blá e que normalmente a primeira tranche só é paga no fim do 1º período e é se houver dinheiro. Explico que no regulamento é explicito "Início do 1º período".
Reclamo, refilo, digo que está errado, que não pode ser, chamo-lhes incompetentes, grito, exijo os direitos da minha filha. 
A resposta foi muito clara - a incompetência desligou-me o telefone na cara.
Agora é a guerra. Os meus amigos sabem bem do que sou capaz quando arregaço as mangas.

 

 

* Texto original escrito no FB com o título - A partir de hoje, vão ter que se ver comigo. Todos.



Rita às 15:10
link do post |

4 comentários:
De Alfacinha e Companhia a 18 de Outubro de 2013 às 16:29
Há uns anos atrás, por outro motivo, mas que também envolvia dinheiro, também levei com um telefone na cara.

Nem pensei duas vezes, liguei a uma amiga advogada que me escreveu a carta a fazer queixa e a pedir uma reunião.

No mês seguinte tive o dinheiro na conta, mas sem qualquer justificação e da reunião ainda estou há espera...

E pelo andar da carruagem, ainda vai ser muito pior...

BJs.


De Méri Almeida a 18 de Outubro de 2013 às 17:53
Força mãe galinha!!!
Está tudo mesmo a precisar que se vá a eles. TODOS.


De Silvia a 21 de Outubro de 2013 às 13:40
Experimente pedir o livro amarelo e reclamar. (Mas pedir mesmo o livro amarelo, não é reclamar em folha branca).
O meu filho está no 11ºano e este ano pelos mesmos motivos tb tem direito, na escola correu bem mas no trabalho nem por isso, tive que me chatear a sério para ter direito ao abono de família dele em duplicado, enfim tive que mostrar todas as leis e mais alguma aos RH, mas calar-me NUNCA, jamais.
Por isso, força!
;)


De papu a 30 de Outubro de 2013 às 13:16
Só hoje é que li isto, vê lá.
Tu vai-te a eles, mulher! Estás cheia de razão e esta cambada de incompetentes precisa de pessoas como tu para lhes dar uma bela de uma lição! Força! Só espero que haja frutos :)


Comentar post

O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5
.Correio

e-mail