Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mãe-Galinha

trinta e oito e meio

Rita, 30.01.12

Quando os filhos estão doentes devia haver uma mãe de substituição para pagar contas, assinar testes, ajudar nos trabalhos de casa e outras burocracias (também há burocracias na vida de mãe). É que quando os filhos estão doentes a vida fica suspensa.

Sobrevivi à semana passada, entre gripes e escarlatinas, fechada em casa a medir febres, a angustiar-me, a dar xaropes e comprimidos, a fazer horas para mais uma toma, a voltar ao médico, a voltar outra vez, a minha cabeça a rebentar.

Aguentei-me bem, apesar do isolamento/cansaço/enorme constipação. Refugiei-me na cozinha, iniciei o mini-chefe nos prazeres culinários e tenho comida congelada para meio mês.

Agora estou a ressacar aquilo tudo e sei que estou ainda mais insuportável. Preciso que me descontem as angústias e as noites mal dormidas e que não exijam de mais duma mãe que às vezes se cansa.  Eu ainda não tenho tempo para descansar (nem sei se quero ter) mas quem me conhece deve saber que há uma linha que separa o "a mãe está cansada" do "é melhor nem lhe dizer nada". Chiu.

O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5

3 comentários

Comentar post