Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mãe-Galinha

...

Rita, 06.02.04
Hoje é 6ª feira e avizinha-se mais um fim de semana.

De acordo com as previsões, será um fim de semana de chuva. Só quem tem 3 crianças é que conhece o desespero dos fins de semana de chuva. Apesar de tudo, damo-nos por satisfeitos por nos podermos fazer valer da Disney/Pixar e do Canal Panda, de alguns espaços fechados onde se podem levar as crianças para brincar (e apanhar viroses) e dos museus, que ao contrário do que parece, são de muito agrado das crianças pequenas. Veremos a que nos vamos dedicar nos próximos dois dias.



Na realidade, era suposto irmos a Lisboa ao aniversário da Avó Ana. Mas as finanças estão tão mal que optamos por ficar por cá. Este mês, com uma série de despesas extra, todas a poupança é benvinda.

Refiro apenas que cada sessão semanal de terapia da fala da Maria custa 30 € (obrigada Mãe!) e que ontem paguei cerca de 100 € na farmácia por mais uma dose de vacinação anti-meningite para a Carminho (alguém me explica porque é que estas vacinas não fazem parte do calendário oficial?)



Sendo 6ª feira, quero iniciar o que passarei a chamar de "acontecimentos semanais marcantes":

(por ordem de idades)

1. A Carminho está ranhosa. O calor dos últimos dias não foi muito saudável. E as vacinas de ontem também não devem ter ajudado. Continua a comer lindamente, já gosta muito mais de fruta e tem novas brincadeiras - pôr e tirar a chupeta, aperceber-se que os pés lhe pertencem e palrar. Palrar muito.

Fica muito contente quando me vê chegar ao infantário; esbraceja, esperneia e ri-se muito. Por falar em infantário, tem-se portado bem mas dorme pouco por lá. Com excepção de 4ª feira, dia em que dormiu uma grande sesta.

O Baptizado ficou adiado para depois da Páscoa. Agora entra a quaresma e parece que não é muito comum realizarem-se batpizados nessa altura. E em Abril os dias são maiores e mais quentinhos.



2. A Inês anda com a paranóia do sangue. Ela, que já tem uma imaginação fértil que chegue, todos os dias trás uma nova aventura recheada de sangue - eis um exemplo - "ó mãe, sabes o que é que aconteceu hoje à AP? Arrancou um braço e era só sangue e teve que ir à enfermeira pôr um penso". Ora estas histórias, à hora do jantar, são do que melhor existe para temperar a refeição!

Continua a fazer xixi na fraldeca durante a noite mas temos um progresso - há um dos xixis que fica no penico. Ando a tentar comprá-la com um tal "rocky robô" que ela quer. Disse-lhe que lhe dou o "rocky robô" quando não houver mais xixis. Anda entusiasmada. E eu, ando intrigada: Que raio será o "rocky robô"?

Ainda a Inês. É um poço sem fundo. Todos os dias chega a casa e pergunta "ó mãe! O que é que eu posso comer?" e passado uns minutos "ó mãe! o que é hoje o jantar?". E no fim do jantar "ó mãe! posso comer um chocolate?" Gosta de comer, a cachopa.



3. Já a Maria, esta semana, em pleno refeitório do infantário, revelou que não comia porque queria ficar igual à tia Gui. Por favor.... Igual à tia Gui?! Filhota, deixa-me dizer-te que nunca serás igual à tia Gui. A tui Gui é inimitável. E tem cá um feitio! Mas de certeza que serás sempre trinca-espinhas como ela ("Eu não sou trinca-espinhas!!" - já estou a ouvir).

Não sei se a tia Gui gosta de ir à pesca. Mas a Maria já várias vezes referiu que gostava de ir pescar! Mas de onde raio lhe saíu esta vontade? Já disse ao pai para ir com ela, mas parece-me que o pai não está para aí virado. Sempre traziam uns peixitos para o jantar! A verdade é que o meu pai gostava de ir à pesca. Será que é um gosto que se herda? Eu confesso que não consigo achar a mínima graça a ficar ao facto de estar ali à espera que o peixe morda o isco.

Na segunda feira estreou-se na terapia da fala. Temos para uns tempos.... Parece que é uma articulação compilcada, a do som "r". ("Maía" em vez de "Maria"). Não gostávamos que fosse para a primária com este handicap. Ah! E já está inscrita na escola. A ver vamos onde a vão colocar. Isto de nascer no 4º trimestre do ano tem destas desvantagens - deixa de ter prioridade na escolha da escola. Preocupamo-nos com o assunto lá mais para o início do Verão.



4. A Mãe continua cansada. As ampolas têm ajudado mas não fazem milagres. Mas esta semana a mãe teve tempo de ir comprar umas plantas lá para casa. E uns sacos de terra para mudar algumas que, coitadinhas, parece que têm icterícia. Está lá a terra, estão lá os vasos, falta a coragem de começar a empreitada. Será amanhã?



5. O Pai teve uma proposta para vender umas fotografias e escrever uns artigos para uma revista (oops! era uma revista?) Ficou contente.

Esta semana o Pai e a Mãe tiveram uma conversa menos amena à hora do jantar (sabemos que não se faz...). Comentário da Inês: "vocês são namorados, não se podem zangar!". E pronto, não nos zangámos mais.
O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5