Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mãe-Galinha

Contornar as esquinas

30.04.09

e não bater violentamente com a cabeça. Evitar uma dor lancinante, pegar no mapa e procurar um caminho melhor. 

  

 

A idade ensina-me que há mapas da vida, que é melhor seguir por caminhos do que saltar por atalhos, que é bom conhecermo-nos. 

Tenho, na minha vida recente, um exemplo perfeito do que escrevo - o Sebastião estava desde sempre no meu caminho, tenho a certeza, e tinha que chegar para me adoçar. Sou agora uma pessoa de pazes refeitas com o mundo. Cada uma das minhas filhas tem também uma missão em mim e não as referir não significa que sejam menores. Apenas mais distantes, que o S agora chegou. 

 

Acho que aprendi a conhecer-me melhor quando despertei (um bocadinho) para a espiritualidade e a minha amiga Inês, que pinta as mandalmas que ilustram este post, teve a responsabilidade toda deste acordar. Noutro dia noutra noite, evitei uma ida à urgência porque juntei ao ventilan do bebé um bocadinho de Reiki. Também foi assim que acalmei algumas cólicas dos primeiros meses.

 

Quase nunca escrevo sobre estas coisas porque sou, de facto, muito mais da terra e do dia a dia. Mas a verdade é que me esforço e que me procuro atrás de cada esquina.

  


 

Mandalas - um termo que, em sânscrito, quer dizer círculo e que, supostamente, é uma representação do universo e de nós próprios, dentro desse universo. Antes de serem um fim em si mesmo, as mandalas são um processo de meditação, o seja, um meio para atingir um fim - mais espiritual do que estético. Prova disso, são as famosas mandalas de areia dos monges tibetanos. O único propósito - ao longo dos meses em que se dedicam a "construí-las" - é meditarem sobre o universo e sobre o seu próprio papel dentro desse universo. Por isso são feitas de fora para dentro, até chegarem ao âmago do círculo.
Essas mesmas mandalas são depois destruídas e atiradas ao rio. O que prova que era o processo que interessava, muito mais do que o resultado.

 

Mandalmas - ou mapas da alma - mais não são do que almas dentro de um círculo.
Neste caso, com a presença dos planetas nas posições do dia em que cada um nasceu.

 

Não é futurologia, nem adivinhação, nem coisa de bruxas. Apenas o mapa que nos mostra o caminho - as fraquezas, as forças, os dons e as esquinas da vida.

 

O contacto para mandalmas personalizadas é mandalma@gmail.com. São pintadas pela Inês de Barros-Baptista.

O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5

11 comentários

Comentar post