Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mãe-Galinha

Do rapaz

Rita, 05.01.09

Não sei como vai ser, daqui a uns dias, quando tiver que deixar o miúdo na escola. A criatura é manhosa e não respira sem mim por perto. Guincha angústias quando me perde da vista e esperneia se não lhe dou mama. Fosse este o meu primeiro filho e acharia tudo normal. Mas não é e não acho. Bem sei que é macho, que se calhar lhe fervilham as hormonas, que tem um édipozinho no umbigo. Aqui a criatura olheirenta e mal dormida sente-se agarrada, amarrada e pestilenta duma gosma colante. Tenho um pulso todo lixado porque passo horas das noites com o miúdo pendurado em mim - acorda mil vezes de noite, colo e mama e adormecemos os dois assim, muito mimosos, ai que bom, e durmo sentada com 10 quilos num braço e pronto. Nem costas, nem braços, nem memória, nem pulsos. Já quase não sou eu. 

Come sopa e fruta a gosto e papa a contragosto. Bebe leite de lata se for preciso mas não significa que não acorde 3 horas depois. É lindo, lindo, lindo, redondinho e tão feliz. Sempre a rir. Ou a comer. Ou a berrar de sono. Dorme tão pouco que me preocupa. Crescem a dormir, não é? Mas está tão grande. 

O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5

17 comentários

Comentar post

Pág. 1/2