Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Mãe-Galinha

NADA A VER

16.12.04
De repente, enquanto lavo as mãos, aviva-se-me à memória o facto de que estou relamente a ficar senil.

Não tenho chave de casa. Só temos (ainda) duas e uma tem-na a empregada. A outra, o João. Eu entro sempre pela garagem, com o comando da mesma.

Noutro dia a minha mãe tocou à porta. A porta estava trancada e eu não tinha chave para abrir. Entrou pela garagem.

Depois pensei - Ai que estúpida, podia ter aberto a porta pelo intercomunicador!

(Pois podia, se o intercomunicador destrancasse portas).
O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5