Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mãe-Galinha

Lap loom

Rita, 25.03.08
Apesar dos entusiasmos iniciais, passou-lhes depressa a vontade de tricotar.
Às vezes a Inês faz cordão; metros e metros de cordão amarelo que se emaranham por ali num saco.

Noutro dia viram-me talhar e coser uns babetes. A Carmo riscou e cortou na perfeição que se pode exigir a quatro anos de gente. Depois pediu para coser e eis senão quando eu me espanto com a destreza - quase me apetece mudar-lhe a alcunhna de princesa-empadão para princesa-agulha&linha.
Entretanto, a Inês também quis riscar e cortar; depois pegou na agulha enquanto a Maria espumava de raiva por nem sequer conseguir usar a tesoura sem ser num corte a direito. Praguejou que nunca haveria de conseguir fazer nada de jeito com linhas e agulhas mas que
- olha, também numintressa, vou jogar computador.

Lembrei-me do tear que recebeu nos anos ou no natal, não me lembro, e que ainda não tinha saído da caixa. Galguei as escadas na esperança de salvar mais uma alma para o lado real das coisas.
Mesmo a tempo.
O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5

5 comentários

Comentar post