Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mãe-Galinha

Quarto crescente

09.11.06
Durante anos, quer estivesse grávida quer não estivesse, via as grávidas todas. Topava-as à distância, adivinhava-lhes as dpp e partilhava sorrisos cúmplices

Agora farto-me de ver mães que esperam pelos filhos. Dentro do carro, à porta das escolas. Adivinho-lhes as leituras, as músicas, os pensamentos, os sorrisos e as lágrimas. Conto-lhes as rugas.
O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5

3 comentários

Comentar post