Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mãe-Galinha

No regresso de Lisboa

Rita, 05.11.07
- Quanto tempo falta para chegarmos?
- Sei lá. Muito. Durmam.
- Muito quanto?
- Uma hora.
- Sessenta minutos, três mil e seiscentos segundos... (pausa)... Um segundo tem dois segundos, não é mãe?
Eu cheia de sono, a não me apetecer responder a perguntas:
- Não. Um segundo é um segundo. Porque é que haviam de ser dois? Um é um.
- Mas se é segundo é porque há um antes dele. Se é o segundo tem que haver o primeiro...
- Hummm... Pois. Hummm... Deixa ver.... Humm....
- Porque é que o segundo se chama segundo, mãe? Diz-me!
- Olha, não sei e devem ter sido as pessoas que muito antigamente deram o nome às coisas que decidiram assim e não sei porquê. E as mãe não têm que saber tudo, está bem, Inês? Agora dorme.
O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5

12 comentários

Comentar post

Pág. 1/2