Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Mãe-Galinha

Mais mau feitio ou

Rita, 24.10.07
tornei a acordar com os pés gelados e ainda ninguém me arranjou a porcaria dos estore do quarto:

Ao
Grupo Parlamentar do ... (foi para todos e ainda, mais uma vez, para o Gabinete do Ministro do Trabalho e Segurança Social)

No âmbito das políticas de incentivo à natalidade e protecção da maternidade que têm vindo a a ser promovidas no país, venho, por este meio, solicitar a V/ Exa se digne propôr, a quem de direito, a revisão da legislação relativa às faltas para assistência à família (artº 15º da lei 4/84, de 5 de Abril, republicada pelo DL 70/200 de 4 de Maio)

De facto, a legislação não prevê que, numa família com 2 ou mais crianças, o número de faltas para assistência à família seja diferente do que é para uma família com uma criança.
Ora, as crianças não estão necessariamente doentes ao mesmo tempo. Aliás, é corrente que raramente isso aconteça.

Assim, e no âmbito do acima exposto, proponho que seja estudada a hipótese que preveja a proporcionalidade entre as faltas para assistência à família e o número de filhos.

Com os melhores cumprimentos,


Rita Quintela
(funcionária pública e mãe de três crianças)
O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5

11 comentários

Comentar post

Pág. 1/2