Terça-feira, 3 de Junho de 2014
Junho!

Mal posso esperar que termine este ano letivo e é por isso que exclamo Junho no título.

Este mês também tem outras coisas boas (algumas são surpresas que não posso desvendar). Outras já passaram e ainda o mês vai no princípio.

De registar - a experiência RR que as Marias contam, de certeza, muito melhor do que eu. (Até porque ainda não me recompus das duas horas de sono a que tive direito - Há o "ir" ao RR e o ir ao RR saindo de Aveiro às 14h e e regressando no final do concerto)

 

(a foto que diz tudo - a expressão de felicidade é comovente. As mãos da Inês e da amiga A, à frente da cara, não foram de propósito!)

 

Outras coisas

- há exatamente uma semana a Inês aterrou de costas no chão, o que obrigou a uma viagem de ambulância e a 4 dias de atestado (e a um grande susto até conseguir mexer as pernas)

- o Sebastião está inscrito no 1º ano - quero o meu bebé de volta

- o passatempo do iogurte terminou, sem grande adesão da vossa parte. Logo que possível dou notícias. 


tags: , , ,

Rita às 15:41
link do post |

Terça-feira, 4 de Junho de 2013
Ainda bem que me gosto muito

- Estás tão sexy, mãe!

(calções de ganga e tshirt)

- Ah! Gostas?

(sempre bom, um elogio adolescente)

- Não.

(leia-se um "não" seco e redondo)


tags:

Rita às 10:38
link do post |

Segunda-feira, 10 de Dezembro de 2012
A cozinheira das cozinheiras

Em pequena era a de boca mais fácil mas foi-se refinando. Hoje em dia não gosta de duas ou três coisas muito específicas, o que demonstra bem o carácter altamente sofisticado do palato. (Por exemplo, gosta de queijo, gosta de fiambre, adora tostas mistas, mas nao concebe que se comam sandes mistas. Gosta de pataniscas e de bacalhau com natas mas não prova sequer uma posta de bacalhau assado).

Pede muitas vezes para cozinhar e está a apurar a técnica. Cozinhar, dançar e pintar são, aliás, as coisas que a vejo fazer mesmo com MUITO prazer (não vou incluir aqui o estar no facebook)

Numa prova quase cega, há uns tempos, fizemos, eu e ela, pratos diferentes. Ela ganhou*. Ontem nem me meti com esta empada. Limitei-me a comer e a chorar por mais. Go Inês!

 

*Eu cozinho bem, e gosto de cozinhar. 

 


tags:

Rita às 15:16
link do post |

Sexta-feira, 17 de Fevereiro de 2012
15 de Fevereiro

Sabemos que estamos para lá de velhas quando passamos o serão a ajudar as filhas a descolorar pelos, depilar axilas e arranjar sobrancelhas.

(ou - ter tempo para elas e não para mim)

E sim, estão ainda mais lindas.


tags: ,

Rita às 11:47
link do post |

Quinta-feira, 9 de Fevereiro de 2012
Inês, lê os recados no último parágrafo

Estou a definhar com saudades da minha filha Inês e nem o estágio das ausências do verão está, neste momento, a fazer o que quer que seja por mim.

Por um lado, está mais longe de mim do que alguma vez esteve. Muito longe mesmo. Por outro, o tempo por lá está péssimo - muito frio, neve, chuva, viagens intermináveis em autocarros, enfim, um pesadelo para a minha galinhice. Acrescente-se o facto desta minha cria ser a descontração/desorganização/desligação. Ainda não tinha saído de casa e já não sabia onde estavam os comprimidos contra o enjoo. À chegada enviou-me um sms (já enviou 146, desde Domingo) porque não sabia onde estava o saco com os carregadores (na mala DELA, que fizemos juntas).

Levou mil indicações escritas em papelinhos que de certeza já desapareceram (se tiveres febre, isto, se te doer o pé, aquilo, não andes sozinha, escreve aí as moradas das casas e o nome do hotel, blá blá blá).

Não foram precisos muitos dias para o detalhe que eu já adivinhava: Sinto-a tão, mas tão feliz ao telefone (costuma ser monocórdica e sem expressão), tão detalhada nos pormenores que conta e tão intensa, que fico com a certeza que esta miúda é mesmo do mundo e nunca será feliz presa a um lugar.

 

Agora os recados, para o caso de me leres por aí:

- Não me envies sms quando acordas. Há uma coisa chamada fuso horário e às cinco da manhã eu estou a dormir....

- É melhor mandares arranjar as botas castanhas. Se acontece alguma coisa às azuis vais para a rua como? De pantufas?

- Não quero ver mais fotos em que apareces sem gorro nem luvas. Tenho visto todos os dias o meteo.it e sei muito bem que está frio.

- Não perecebo metade das cenas que mandas nos sms (tipo XD e assim)

- Porta-te bem e diverte-te (com juízo)

- Beijossss


tags:

Rita às 12:37
link do post |

Sexta-feira, 30 de Dezembro de 2011
12 a 22

Tem doze anos há uma semana e um dia. É linda de morrer, desarrumada que mete dó, esperta que nem um alho, diz que não gosta de ler - fase parva - passa horas, seriam dias se eu deixasse, no FB e msn, lugares onde ama de paixão todas as amigas, que aquele coração não tem tamanho. Continua pouco faladora e precisa de aprender a deitar fora as raivas, as alegrias e as tristezas. Disse-nos um amigo homeopata que tem as angústias concentradas nos pés. A meio de Novembro fraturou a membrana interna do calcanhar e foi aí que lhe percebi na angustia a enorme paixão pelo ballet

(dança maravilhosamente)

Eu sou uma pessoa perspicaz e não leio a minha filha. Isso perturba-me. Ela, às vezes, perturba-me. É, dos quatro, a que mais "mexe comigo". Eu, a espalha-brasas-palavras-e-emoções. Ela, o bloco de gelo silencioso que vou ter que aprender a derreter.

(aqui quentinha, em fim de verão)


tags:

Rita às 16:48
link do post |

Quarta-feira, 27 de Julho de 2011
Olá, eu sou a Inês

e não tenho medo das alturas

 

 

 


tags:

Rita às 10:14
link do post |

Sexta-feira, 22 de Julho de 2011
A miúda tem asma, é alérgica a gatos e não está nem aí para assumir responsabilidades

(não é a nossa mas é parecida)

Falemos dos gatos das gatas.

Eu não gosto por aí além de animais. Quer dizer, de animais em casa.

Gosto de vacas, de cavalos, de ovelhas (a-do-ro ovelhas), odeio galinhas e patos (tenho medo) e sou gaja para não pensar nos ai que fofinhose for preciso tratar da saúde a um bicho para o comer (é isto, pão-pão- queijo-queijo).

Há sete anos que temos uma gata, a preta,e pronto, lá me fui afeiçoando à bicha. Ponho-lhe água e comida, ela traz-me ratos mortos, e assim mantemos a nossa relação. E estaríamos falados de animais.

Eis senão quando recebo um telefonema duma professora da Inês, que quer combinar comigo a entrega da bichinha.

Bichinha?

A Inês não lhe falou?

Errr....

(respira, conta até 10)

E assim temos uma gata mal desmamada fechada na garagem, à espera de crescer paar poder enfrentar as feras da vizinhança, e que já estaria seca de morta se não fosse eu (a que não gosta por aí além de animais) a alimentá-la, escová-la, desparasitá-la e mimá-la.

Coisa mái linda da mãe da dona, o raio da gata.


tags: ,

Rita às 13:33
link do post |


O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5
.Correio

e-mail