Segunda-feira, 3 de Março de 2014
M17/94

Nunca me hei-de esquecer do dia em que fui chamada à tua escola por ter escrito este post.

Por muito que o momento me tivesse marcado, mas porque não quis dar importância a quem a não merecia, não escrevi sobre esse facto.

Mas hoje é o dia.

Em resumo, um diretor de turma, revendo-se na possibilidade da proposta de demissão por incumprimento, convocou-me para uma reunião. (Em bom português, enfiou o barrete e serviu-lhe à justa).

Sem saber do motivo da convocatória, angustiei-me um bocadinho e lá fui.

Eis senão quando a pessoa em causa começa a manifestar o seu desagarado pelo que escrevi, que nem sabia que eu tinha um blogue mas que alguém lhe foi dizer que eu tinha escrito isto e aquilo, que se eu não gostava do diretor de turma o problema era meu e mais uma série de disparates. (- E quem é que lhe falou no MEU blogue onde EU escrevo o que EU quero? - Ah! Isso não lhe digo... - Aqui tive a certeza da surrealidade do momento) 

Só me ocorreu:

- nunca, mas nunca mais me chame à escola para tratar de assuntos que não são da escola. 

Cheguei a casa e disse-te (lembro-me tão bem): "Tinhas razão. Demissão por incumprimento e já"

 

Lembrei-me deste episódio porque continuamos com problemas com aquela pessoa que já te deu aulas e que agora dá aulas a uma das tuas irmãs.

(Repara no esforço que estou a fazer desde o início deste texto para não utilizar o género no sujeito)

Eu até tinha a pessoa em boa conta. Tu gostavas dela, dizias que ensinava bem, não me lembro de nada digno de registo (parece-me até que eu era representante dos pais da turma e não me lembro de haver questões com aquelas disciplinas).

Passaram alguns anos, os programas mudaram, a pessoa envelheceu. E coitada, não está nada bem. 

Compara a tua irmã contigo (a tua irmã Maria era muito melhor do que tu), não escreve sumários, não permite que os miúdos coloquem dúvidas, aplica testes com matéria que não deu - deduzo que os testes sejam feitos pelo grupo da disciplina - , entre outras coisas. 

E o que é que se faz numa situação destas (quando se sabe da dificuldade de afastar um professor de uma turma)? Muda-se a miúda de turma, claro! O problema é que a miúda está no ensino articulado e só há uma turma desse regime. 

Vamos a meio do ano e a situação não melhora. Ontem recebi um email que resume uma sessão de CT. Talvez esteja a cometer um desvio na proteção de dados ao transcrever excertos dessa mensagem mas o benefício da partilha será, de certeza, maior do que o risco. Este excerto, com sublinhados meus, demonsta, por meio de um exemplo que, infelizmente, nos afeta, um bocadinho do que se passa nas escolas públicas:

 

"(...) Quanto à disciplina de (...) apresentámos (os representantes dos pais) a preocupação de não se realizar trabalho experimental e, também, dos alunos sentirem que não têm oportunidade de participar e colocar dúvidas. (O professor) explicou que existem dificuldades em realizar experiências em sala de aula devido ao grande número de alunos, diminuição de tempo lectivo da disciplina e ausência de um segundo professor; afirma que os alunos foram esclarecidos que não podem colocar muitas dúvidas porque estão atrasados na matéria a lecionar.  Solicitámos (os representantes dos pais) que fossem realizados registos escritos das matérias lecionadas porque isso ajudaria os alunos e os pais/encarregados de educação a compreender o que é mais importante. (O professor) afirma que se recusa a fazer resumos da matéria, que a matéria está no livro (...) 

Quanto à disciplina de (...) expressámos a preocupação dos alunos dizerem que apenas alguns participam e que se sentem pouco seguros em participar. (O professor) respondeu que (...)  não tem tempo para que todos participem porque tem que dar a matéria.

(O mesmo professor) referiu que muitas vezes os alunos não fazem os TPC. A DT inquiriu se registava isso nas cadernetas para os pais saberem e estarem alerta. Respondeu que não tem tempo para estar sempre a fazer registos na caderneta (porque tem que dar a matéria)."

 

O que é que se faz com isto? (não tenho respostas, estou cansada e apetece-me resignar à evidência)

 

Felizmente há os outros. Os que nos/vos fazem acreditar que a escola vale a pena. Os que sabem ensinar motivando, os que fazem da escola a vossa segunda casa, os que vos ensinam a voar. São poucos, mas valem mais do que todos os outros.



Rita às 10:31
link do post |

5 comentários:
De Olga Cazaux a 7 de Março de 2014 às 12:23
Se não se resolve no CT, passem para para a coordenação/direção da escola.



De Marina a 7 de Março de 2014 às 12:41
E que tal uma queixa na drec?


De asdfghjklk a 7 de Março de 2014 às 13:55
Nem sei que te diga...


De Diana a 9 de Março de 2014 às 01:03
E uma cópia para a DGAE ? Eu sou professora, Rita. E, acredita, o material que aqui tens é suficiente para uma retirada da pessoa.


De 3picuinhas a 20 de Março de 2014 às 12:33
Obrigado, obrigado, obrigado...sinto-me tão mais acompanhada neste filme "twilight a tua filha chegou ao liceu e tu vais dar em maluquinha"...o ano passo estive metida num sarilho semelhante com a pessoa que leccionava ET ...


Comentar post

O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5
.Correio

e-mail