Segunda-feira, 3 de Março de 2014
M16/94

 

Não dei pelo mês de Fevereiro passar. (E pensei que seria o mês em que mais me custaria a tua ausência)

Aconteceu tudo muito intensamente e muito depressa - vivemos os últimos tempo dentro do lago. Foram muitos dias e horas de ensaios, muitos nervos, muito cansaço. 

 

Às vezes não sei como, tão pequenos, aguentam estes ritmos. Não me refiro ao ritmo do fim de semana do espetáculo, esse até eu aguento, com tanta adrenalina! Falo do ritmo da vida do dia a dia - escola, conservatório, ballet, ballet, ballet. Casa, estudar, treinar, dormir, recomeçar. A culpa, se calhar, é um bocadinho minha que nunca me calei (nem calarei) com o "nada se consegue sem esforço" e que fomento a mente sã em corpo são. Não estranhamente, as notas da Inês ressentiram-se neste último mês e meio - dançou muito. Não estranhamente, as da Carmo melhoraram bastante - estudou muito mais. E está muito mais segura e feliz. A mudança ajudou. Durante as muitas horas em vi os teus irmãos em cima do palco, tive tempo de recordar as nossas angústias do verão passado quando foi preciso pensar em mudar de escola. E afinal foi tão fácil - vi-os aos três tão seguros e tão felizes que parecia que tinham dançado ali desde sempre. 

(Como te tens sentido, sem dançar?)



Rita às 09:21
link do post |

O nome e os conteúdos deste blogue estão protegidos por direitos de autor.
© Rita Quintela
IBSN 7-435-23517-5
.Correio

e-mail